Quem sou eu

Minha foto
São Carlos (cidade natal), SP, Brazil
Sou formada em Psicologia pela UFU em 1996, fiz Aprimoramento Profissional em Psicologia Hospitalar pela PUC/Camp em 1998, formação de Educadora Perinatal pelo Grupo de Apoio à Maternidade Ativa em 2004, e Curso de Extensão em Preparação Psicológica e Física para a Gestação, Parto, Puerpério e Aleitamento pela UNICAMP em 2006, onde,neste mesmo ano, participei da palestra "Dando à luz em liberdade - Parto e Nascimento como Evento Familiar" com a parteira mexicana Naolí Vinaver Lopez. O que é uma doula? Aquela que serve (ajuda)outra mulher durante o trabalho de parto. Gosto de pensar a doula como acompanhante facilitadora. E o que é educadora perinatal? Aquela que tem formação para dar cursos para gestantes, falando sobre as mudanças no corpo da gestante, desenvolvimento do feto, parto, amamentação, puerpério e primeiros cuidados com o recém-nascido. Atualmente morando em São Carlos/SP. Contato: vaniacrbezerra@yahoo.com.br (16) 99794-3566 (16)34137012

sexta-feira, 2 de julho de 2010

"Paciente agora tem vontade?"

Laurinha, minha sobrinha de 4 anos, há tempos atrás passou por uma cirurgia de retirada das amígdalas. Ficou com medo de ir deitada na maca, e estava ainda com suas roupinhas, que seriam trocadas pelo aventalzinho esterelizado quando já estivesse lá dentro do centro cirúrgico. Diante disso minha irmã a pegou no colo e foi andando do lado da maca. Não havia necessidade de obrigar a menina a ir chorando e com  medo até lá já que só seria trocada depois. E para espanto de todos uma das técnicas de enfermagem falou para a outra:

- "Paciente agora tem vontade?!"

...

Há tempos atrás (mais tempo do que quando a Laurinha passou pela cirurgia) levei meu filho ao Pronto Atendimento 24h, pq ele estava com vômitos e diarréia. A temperatura deu 37'5 e a médica plantonista prescreveu injeção de dipirona na veia. Expliquei que não gosto de dar dipirona, ela respondeu que era ignorância da minha parte. Respondi que 37'5 é sub-febre e nem gosto de medicar... ela respondeu que era ignorância da minha parte. E ficou com tanta raiva que tive a impressão de que ela ia bater a própria cabeça na parede! Só faltou me pedir para assinar um termo de responsabilidade por não querer medicar sub-febre no meu filho!

...

Ontem doulei e a médica escolhida não estava em São Carlos. O médico "reserva" também não. E à partir daí chamaram outro médico sem perguntar ao casal quem eles queriam que fosse chamado. Esse médico, o número 3, disse que ia fazer uma cesárea, e o casal respondeu que gostaria de esperar um pouco mais. Uma hora depois o médico nº3 examinou de novo e disse que a condição estava inalterada e que faria uma cesárea. O casal respondeu com uma pergunta:

- "Está tudo bem com o bebê?"
 Médico 3 ) Sim, está. ...
Casal: "Então queremos esperar mais um pouco".
Médico: "Sendo assim vou me retirar do caso, e vocês vão ficar sob os cuidados do plantonista, o Dr nº4. Já falei com ele e ele aceitou acompanhá-los".

Vejam, o casal não foi consultado sobre que médico queriam chamar DE NOVO.

20 segundos depois, quando ainda não tínhamos colocado nossos queixos no lugar... entrou o médico número 4. Apresentou-se (coisa que o médico nº 3 não tinha feito), olhou para mim e disse:

- "Vou pedir um cardiotoco, se estiver tudo bem esperamos mais um pouco... tudo bem assim"?
Respondi: "tudo bem".

Ele conversou mais um pouco com o casal, queria fazer outro exame de toque, a moça perguntou se não podia esperar e fazer após o cardiotoco, já que ela tinha submetida a exame de toque há menos de 5 minutos. Ele explicou que precisava ter a sua impressão sobre o tamanho da cabeça do bebê, a posição da cabeça e a pelvimetria. (?) Ela respondeu que entendia, mas o exame de toque é doloroso, não podia esperar?

E para o espanto de todos o médico 4 respondeu para ela:
- "Qual é a sua formação?"
- Hein?
Médico: - "Em que vc é formada"?
- "Sou socióloga"
Médico: - Ah...
- O que tem isso a ver?
R) (Silêncio...) Está bem, vamos então esperar o resultado do cardiotoco.

E saiu.

Quando a enfermeira veio instalar o cardiotoco explicamos a ela o que tinha acontecido. O casal não foi consultado e a opção de terceiro médico não era nenhum daqueles dois... O médico voltou e ia dizer alguma coisa, quando a enfermeira explicou para ele a situação e ele respondeu:
- "Prá mim é até melhor pq o plantão está lotado e tenho 3 cesáreas para fazer agora. Vou entrar no centro cirúrgico, então é até melhor que vocês chamem outro médico".

E saiu.

A enfermeira chamou então a médica número 5. (que deveria ter sido a nº3)

Ela veio, e mais ou menos duas horas depois o bebê nasceu, de parto normal. Não foi um parto fácil... nada fácil... mas não foi cesárea! E o bebê nasceu muito bem, obrigada!

Aí... sabe qual a conclusão que muita gente tira?

O problema é A DOULA!
A DOULA é um problema!
Vamos proibir A DOULA de entrar
e assim não teremos mais problemas!

Como se o casal fosse incapaz de se informar e tomar decisões sobre suas vidas e seus corpos se eu não estivesse lá. Como se questionar prognósticos e pedir segunda opinião fosse crime!

Acordem senhores doutores: PACIENTE TEM VONTADE.

Lembrando que parturiente NÃO está doente, e não é paciente. É cliente.
Quem faz o parto é a mulher. O cuidador, seja médico, enfermeira obstetra ou obstetriz deve obstar: ficar junto e observar. Entrar em cena e fazer alguma coisa, só quando necessário. E foi o que a médica nº5, que deveria ter sido a nº3 fez. Parir é Natural. Obstar é para poucos. Felizmente, não tão poucos assim.

E o bonde da humanização segue, cada vez mais lotado.

Doutora Número 5, meu MUITO OBRIGADA! E um grande abraço.

Vânia.

3 comentários:

  1. Comentário recebido por e-mail, e eu achei tão legal que pedi para publicá-lo. Então, devidamente autorizada, aí vai:
    ______________________________________

    Essa me lembrou a minha neta. Essa semana eu a levei ao pediatra, pois estava com uma febre de 39 que durou a noite toda, achei meio diferente, pois as febres que ela tem costumam baixar sozinhas. O pediatra de sempre, fez os exames de sempre, mas como ela não estava legal, chorou um pouco e ele manerou nos exames. Acabou pedindo hemograma e lá fomos nós, ela tem 4 anos e ficou fula da vida. Depois, no dia seguinte, fui levar os resultados e ela disse que não esntraria no cosultório. A secretária disse com muito tato que só iriam ver os exames, que ela não precisava se preocupar, etc. Ela entrou bem desconfiada, como os exames estavam bons, ele resolveu dar mais uma olhadinha na garganta, e ela disse: "Você falou que não ia examinar, eu só quero se for sem palito". Trato feito, e todo mundo feliz, ele, que sabe que sou doula, rolou de rir ao perceber o projeto de empoderada. Paciente tem vontade sim, kkkk.
    Beijos
    Cristiane Tarcinalli Moretto Raquieli - Araraquara
    Doula - Grupo Nascer Naturalmente

    http://www.partohumanizadoararaquara.blogspot.com
    http://empodere-se.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. A gente ainda se surpreende, né?
    Força na peruca!
    bjs
    Pata

    ResponderExcluir
  3. Cometi um erro horroroso quando o médico me disse que ia pedir um cardiotocograma e se estivesse tudo bem ele esperaria mais um pouco e eu respondi que "tudo bem". Eu não tinha que ter respondido, eu deveria ter olhado para o casal para que eles respondessem. Errei e errei feio! já pedi desculpas e já fui perdoada. Eu mesma me desculpar por um erro tão grosseiro é que leva mais tempo...

    ResponderExcluir