Quem sou eu

Minha foto
São Carlos (cidade natal), SP, Brazil
Sou formada em Psicologia pela UFU em 1996, fiz Aprimoramento Profissional em Psicologia Hospitalar pela PUC/Camp em 1998, formação de Educadora Perinatal pelo Grupo de Apoio à Maternidade Ativa em 2004, e Curso de Extensão em Preparação Psicológica e Física para a Gestação, Parto, Puerpério e Aleitamento pela UNICAMP em 2006, onde,neste mesmo ano, participei da palestra "Dando à luz em liberdade - Parto e Nascimento como Evento Familiar" com a parteira mexicana Naolí Vinaver Lopez. O que é uma doula? Aquela que serve (ajuda)outra mulher durante o trabalho de parto. Gosto de pensar a doula como acompanhante facilitadora. E o que é educadora perinatal? Aquela que tem formação para dar cursos para gestantes, falando sobre as mudanças no corpo da gestante, desenvolvimento do feto, parto, amamentação, puerpério e primeiros cuidados com o recém-nascido. Atualmente morando em São Carlos/SP. Contato: vaniacrbezerra@yahoo.com.br (16) 99794-3566 (16)34137012

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Adriana e Emanuelle

São Carlos estava sem partos domiciliares havia 30 anos.
E...
Dia 13/06/2007 às 11h30 tive a honra e a felicidade de presenciar este número voltar ao zero!
YES!!!!
Adriana Abujanra teve o tão sonhado e muito batalhado parto domiciliar. Nasceu a Emanuele, linda, 3,860 de pura fofura.
O pai, presenciando tudo e auxiliando, cantou versos assim que viu a cabecinha da sua filha vindo ao mundo: "que neném lindo lindo lindo!"...
Adriana, durante o expulsivo, se limpando das lembranças do seu primeiro parto, quando foi separada da primeira filha: "a Sofia eles tiraram de mim"... e recebendo o apoio do marido: "aqui ninguém vai tirar nossa filha de você".
Eu e Andréia (minha irmã, cuja presença foi fundamental) fazendo sinais e trocando olhares de cumplicidade.
E a frase do dia: "Está tudo bem!" Ana Cris e Márcia comemorando na estrada: UHUUUUUUUUUUUUUU!
Jamile contando para o maridão (médico) - "está tudo bem... já nasceu... é linda!"
E Adriana inteira. Não precisou de nem um pontinho. E não foi separada de sua filha nem por um segundo.
Todas renascemos por aqui! São Carlos está muito mais bonita hoje!
Beijos mil.
_______________________________________________________
Todas as doulagens começam com o telefone tocando. Então: eu estava em casa, e no meio da manhã o telefone tocou. Era Adriana, dizendo que não havia sinais que ela pudesse identificar como trabalho de parto, mas que ela estava se sentindo muito estranha, e toda hora tinha vontade de ir ao banheiro e não saía nada... tinha ido a uma consulta de pré-natal naquele mesmo dia mas o médico não tinha feito toque. Eu disse que poderia ser um início de trabalho de parto, que valeria a pena verificar, e recomendei que ela ligasse prá Jamile. Ela ligou e a Jamile estava em Ribeirão Preto, e recomendou que ela fosse até o Posto de Saúde. Lá disseram que se ela tinha dúvidas deveria ir prá maternidade... e lá foi ela.
Meu telefone tocou de novo. Era Adriana, se acabando de tanto chorar:
- "Ai Vâ... que M... eu estou na maternidade, estou com 6cm de dilatação e elas querem me internar. Eu expliquei que só precisava ter certeza que era trabalho de parto por que quero ter em casa e vou chamar uma parteira... aí disseram que isso é ilegal, que eu vou tr que assinar um boletim de ocorrência, que vão chamar a polícia... ai Vâ..."
- Dri, vc vai aproveitar que está chorando e vai dizer o seguinte: ...
Em seguida liguei prá Ana Cris, expliquei a situação e ela me tranquilizou. Não poderiam prendê-la na maternidade.
Mais alguns minutos e o telefone tocou de novo. Era a Ana Cris. Ela e a Márcia estavam saindo de São Paulo o mais rápido possível, mas eu deveria me preparar para a eventualidade de... e me passou várias recomendações. Liguei pra Andréia (minha irmã) e perguntei se ela aceitava ajudar.
-"SIIIIIIIIIIIIIM".
Lá fomos nós para a maternidade. Entrei na recepção, estava tudo muito calmo. Saí, liguei prá Adriana, e ela disse assim:
-"Vâ, já estou chegando em casa, a bolsa acabou de romper, e o Oscar tá super bravo comigo... vem prá cá".
Contei prá Andréia e saímos correndo. Ela chegou primeiro pq eu parei duas vezes no caminho prá atender telefone: uma vez era a Ana Cris, dizendo que já estavam na estrada, e pedindo mais informações, e a outra vez era a Márcia, dizendo que se eu precisasse ligar que ligasse para o número dela por que a Ana Cris estava dirigindo.
Cheguei na casa da Adriana. A Andréia estava saindo de lá correndo, dizendo que a Dri estava no chuveiro e que estava reclamando de fome e não tinha nada prá comer, então ela ia buscar. E saiu correndo pela rua, descalça. Passei também pela Dona Cristina (mãe da Dri), indo embora. Ela morava a um quarteirão de distância.
Entrei no banheiro. A Dri olhou prá mim e disse: - "Eu estou com vontade de fazer força".
Tchan! As primeiras frases da Dri sempre são bombásticas. Haaaaaaaaaaahahahah Disse tb que a Jamile estava vindo. A Andréia chegou com as guloseimas, a Dri comeu, e eu fiquei trocando o lençol da cama, ajeitando as coisas, e acalmando o Oscar, que dizia ahcar que era mentira que as parteiras estavam vindo, e perguntava se era assim mesmo, se estava tudo bem... sim estava tudo bem. Foi o dia do tudo bem nunca falei tantos "tudo bem" na vida! Eu e Andréia arrumando as coisas, Dri não queria massgens, falou de novo que queria fazer força... infelizmente tive que tirá-la do banheiro. Expliquei que não sou parteira, e diante da possibilidade da bebê nascer antes de alguém chegar... enfim... ela foi pro quarto e deitou-se de lado na cama.
Foi pra partolandia. Lamentei que não tivessemos nenhuma máquina fotográfica prá registrar aquele olhar lindissimo... e o Oscar começou a tirar fotos com o celular. Fiquei conversando com a Dri, em voz baixa, e ela começou a se limpar das dores do primeiro parto:
- "A Sofy nem me deixaram ver... tiraram ela de mim... só consegui encostar os dedos".
E o Oscar respondeu:
- "Aqui ninguém vai tirar nossa filha de você".
E ela continuou: - "é tão bom estar em casa... aqui tem o meu cheiro... ela foi feita nessa cama... ai que delicia..."
Andréia fez sinal que o períneo estava abaulando. Falei prá Dri que ia trocar de lugar com a Andréia, que era hora de deixar nascer. Ela perguntou se precisava mudr de posição e eu disse que só se ela quisesse. Eu estava segurando uma perna no alto.
- "Não, está bom assim... posso fazer força?"
- Pode.
- "Eu já estava fazendo... rsrsrsr... diminuía a dor fazendo uma forcinha..."
Viram como mulher tem que ser? se você sabe o que fazer não precisa ficar pedindo permissão não, manda bala mulherada!
A cabecinha nasceu. Oscar dizia: - "que lindo, que lindo, que lindo..."
Andréia chorava.
Ficamos esperando, em silêncio, com o respeito que os nascimentos merecem. Ela rodou... e nasceu. Antes de ter saído toda já estava chorando forte. Dri, se ajeitou na cama e disse: "me dá ela." Entreguei embrulhadinha na toalha, tudo estava bem. Fui prá sala. Liguei prá Márcia:
- Oi. Já nasceu.
- "JÁ NASCEU!"
- Tá tudo bem, ela está chorando forte.
Fiquei ouvindo os gritos e comemorações dela e da Ana Cris. Mandaram muitos parabéns. E continuaram vindo.
Fui lá no quarto, dei uma ecadinha na Manú, limpei o narizinho. Voltei prá sala, liguei prá Jamile:
- Oi. Já nasceu.
- "Como assim?! Rsrsrs... Ela não me esperou?! Rsrsrsr Eu já to chegando."
Daí prá frente foi só alegria. A semente da humanização tinha vingado. E desde então cresceu forte, vigorosa, e tem dado mais frutos!
Parabéns Adriana (batalhadora), parabéns Oscar (corajoso), parabéns Sofya pela irmãzinha, e
PARABÉNS MANÚ, PELO LINDO NASCIMENTO E PELA LINDA MÃE QUE VC TEM.
Parabéns a todos os envolvidos.
Beijos,
Vânia.

5 comentários:

  1. Que ótima notícia, Vânia!

    Parabéns a todos aí!!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Emanuelle já tem dois anos, é linda, linda, linda. E junto com ela renasceu a possibilidade de partos domiciliares em toda uma região. Depois disso mais de 10 bebês já tiveram a sorte de nascerem em paz, realmente em paz, com mães que foram tratadas com respeito durante todo o TP, sem serem separados delas, sem serem banhados com indiferença, e sem sofrerem procedimentos invasivos e desnecessários. O mundo vai ficando mais tranquio à medida que os nascimentos são mais tranquilos. E eu ADORO o que eu faço.

    ResponderExcluir
  3. Por vc adorar oq faz é q tudo q é feito por vc é MARAVILHOSO!

    nada teria acontecido sem vc Vâ! Nada!!!


    OBRIGADA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. E eu, em nome de todas as mulheres que tiveram partos domiciliares depois de você, agradeço e digo o mesmo: nada teria acontecido sem vc Dri, nada!!!
    Nós é que agradecemos!

    ResponderExcluir
  5. Lindo de mais.....!!!
    Chorando horrores... espero que um dia eu consiga ter o meu, e quem vai estar do Meu Lado p/ Relatar vai ser vc Adriana.....=)

    EMBORA TODOS OS MEDICO E ENFEIRAS OBSTETRA QUE RECORRI ME DIGAM QUE EU NÃO POSSO TER VBA2Cc DOMICILIAR.

    QUEM SABE NÃO SEREI NOTICIA NÉ!
    Já penso aparecendo no Jornal da Globo, mulher realizar seu maior sonho que é parir naturalmente em casa depois de 2 cesarias !
    QUERO MUITOOOOO
    Parabéns pela força!

    ResponderExcluir