Quem sou eu

Minha foto
São Carlos (cidade natal), SP, Brazil
Sou formada em Psicologia pela UFU em 1996, fiz Aprimoramento Profissional em Psicologia Hospitalar pela PUC/Camp em 1998, formação de Educadora Perinatal pelo Grupo de Apoio à Maternidade Ativa em 2004, e Curso de Extensão em Preparação Psicológica e Física para a Gestação, Parto, Puerpério e Aleitamento pela UNICAMP em 2006, onde,neste mesmo ano, participei da palestra "Dando à luz em liberdade - Parto e Nascimento como Evento Familiar" com a parteira mexicana Naolí Vinaver Lopez. O que é uma doula? Aquela que serve (ajuda)outra mulher durante o trabalho de parto. Gosto de pensar a doula como acompanhante facilitadora. E o que é educadora perinatal? Aquela que tem formação para dar cursos para gestantes, falando sobre as mudanças no corpo da gestante, desenvolvimento do feto, parto, amamentação, puerpério e primeiros cuidados com o recém-nascido. Atualmente morando em São Carlos/SP. Contato: vaniacrbezerra@yahoo.com.br (16) 99794-3566 (16)34137012

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Roberta, João e Rachel - 02/09/2010

Roberta foi a algumas reuniões do GAPN São Carlos. Tinha duas cesáreas anteriores, e entendíamos ambas como "desnecesáreas". Agora ela queria ao menos entrar em trabalho de parto.

Fizemos a preparação como de prache, e sempre conversávamos bastante sobre o espanto que ela causava na maioria das pessoas: como assim, vc já tem duas cesáreas e agora quer ter parto normal????

Pois é... evidências científicas!

E tudo corria bem, até que um imprevisto trouxe novas variáveis à situação: o filho mais novo, Samuel, teve apendicite e passou por uma cirurgía. Fui visitá-lo na pediatria e lá estava Roberta, descansando em uma poltrona reclinável que as enfermeiras tinham arrumado para ela. Ela estava tendo contrações indolores bastante regulares, e achei impressionante como a barriga entortava para o lado direito... até tirei uma foto, mas o vestido era de listras e a imagem ficava distorcida.

Bom... tudo correu bem com o Samuel, ele teve alta, voltaram todos para casa, incluindo a mãe da Roberta, para cuidar do Samuel, ajudá-lo, por exemplo, a sair da cama e descer as escadas, coisas que a Roberta não poderia fazer com facilidade estando com um barrigão de 9 meses.

Roberta tinha muitas contrações durante a noite que desapareciam quando amanhecia o dia. Passou algumas noites muito mal dormidas por conta disso, e sendo janeiro, filhos de férias em casa, uma construção em fase final no terreno ao lado do quarto... também não conseguia dormir bem durante o dia, no máximo tirava uns cochilos.

Então, no dia 09/02/2010 às duas da manhã o João me ligou dizendo que a bolsa tinha rompido e Roberta estva com contrações a cada 5/7 minutos. Conversamos, estava tudo bem, pedi que me ligassem então quando estivessem um pouco mais próximas. 2h30 ele ligou. Os intervalos já estavam menores que 5 minutos. Excelente! Mas ela pediu para me dizer que não estava se sentindo à vontade em casa porque não poderia andar pelos corredores nem ficar muito tempo no chuveiro porque sua mãe acordaria, ficaria nervosa, então ela queria ir para a maternidade. Tudo bem... levantei, tomei um bano rápido, peguei minhas coisas, chamei um táxi... e cheguei na maternidade antes deles.

Quando eles chegaram a Roberta praticamente tinha perdido o controle sobre a dor. As contrações estavam mesmo bem próximas. Dra Carla foi chamada, e enquanto isso Roberta foi para o chuveiro, João e eu apoiando, dizendo palavras de incentivo, e passávamos um gel calmante nas costas dela, pois era onde ela referia mais dor. João tirou os sapatos, arregaçou as mangas, e durante as contrações ele praticamente entrava debaixo do chuveiro para fazer-lhe massagens nas costas, ela soltava a garganta e fazia aquele famoso mantra:

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII

E assim passava mais uma contração, tudo indo muito bem.

Dra Carla chegou, conversou um pouco, apagou  a luz do banheiro para ficarmos na penumbra... (eu quase sempre esqueço deste detalhe! :P ), fez o toque depois de algum tempo, e constatou 3 cm de dilatação. Até aí tudo indo muito bem, batimentos cardiacos fetais excelentes... Dra Carla então foi dormir no quarto ao lado. (Não voltou para casa por uma precaução, por se tratar de VBA2C, pois normalmente até a parturiente seria orientada a voltar para casa... mas nesse caso ela tinha vindo mais cedo por conta própria, então o que podíamos fazer era apoiá-la e aguardar a evolução natural).

Dia quase amanhecendo, Roberta referindo cansaço intenso e muita dor, pediu cesárea. Lembro exatamente das palavras dela:

- "Eu sei a dor que estou sentindo e sei a dor da cesárea. O que eu quero agora é descansar, eu quero poder dormir. Depois eu lido com a dor da cirurgia".

Então assim foi. Cesárea a pedido, feita com muito respeito, pai presente e tirando fotos, todos muito felizes. Rachel nasceu às 5h50, com 4,050Kg e 48 cm.


Rachel nasceu no dia em que quis, pode sentir que algo diferente estava acontecendo, sem nascer com dia e hora marcada, e pessoalmente fico muito feliz quando isso acontece.

Enquanto aguardávamos que Roberta saísse do centro cirúrgico o pastor chegou. Juntos, João, o pastor e eu, juntamos nossas cabeças e rezamos pela Rachel.

Aguardei que Roberta chegasse no quarto e estivesse instalada antes de ir embora, muito feliz por ter testemunhado mais um nascimento com respeito.

Roberta, João e Rachel, muito obrigada por terem me convidado para essa festa. Linda festa, com certeza. Beijos a toda família.

Ah! Tempos depois a EPTV me ligou perguntando se eu me utilizav da música durante a preparação para o parto, formação de vinculo mãe/bebê, etc... respondi que sim, e eles pediram uma entrevista junto com alguém que tivesse feito isso. Na hora me lembrei da Roberta e sua família, e eles prontamente aceitaram colaborar com a reportagem. Foi uma linda apresentação, todos juntos cantando "Eu sei que vou te amar" para a Rachel. Pena que a EPTV não permite que suas reportagens sejam disponibilizadas no youtube, e no site deles só permanece por pouco tempo, então não podemos revê-la.


Vejam as palavas da Roberta ao ler o meu relato:

"GOSTEI MUITO DO RELATO SIM, PODE PUBLICAR, SÓ GOSTARIA QUE VOCÊ ACRESCENTASSE QUE EU TIVE MUITO MEDO NA RETA FINAL PORQUE A RACHEL HAVIA SUBIDO E MUDADO DE POSIÇÃO UM DIA ANTES, DAÍ EU FUI FAZER UM ULTRASSOM E A MÉDICA ME DISSE QUE ELA TERIA MAIS DE 4 KG E ISSO ME DEIXOU APAVORADA, SEM CONTAR QUE REALMENTE ELA HAVIA SUBIDO E SAIDO DA POSIÇÃO. MAS FIQUEI FELIZ POR TER ME ESFORÇADO POR ELA E TER DEIXADO QUE ELA ESCOLHECESSE O DIA DE NASCER.


FOI MUITO ROMANTICO PARA MIM TER MEU MARIDO AO MEU LADO DE ROUPA E TUDO NO CHUVEIRO... PASSANDO TODOS AQUELES MOMENTOS MARCANTES EM NOSSAS VIDAS...

E VOCÊ FOI UMA DAS PESSOAS QUE NOS AJUDOU A PASSAR POR TUDO ISSO, MUITO OBRIGADA!

TAMBÉM ACRESCENTE QUE A RACHEL OUVIU MUITA MÚSICA NO MEU VENTRE E EU CANTEI MUITO PRA ELA. E HOJE ELA É UM BEBÊ QUE ADORA MÚSICA...

MANDE NOTÍCIAS...

Que Deus te abençõe!

Um abraço: Roberta Rodrigues!"




Como sempre: foi uma honra!

Nenhum comentário:

Postar um comentário