Quem sou eu

Minha foto
São Carlos (cidade natal), SP, Brazil
Sou formada em Psicologia pela UFU em 1996, fiz Aprimoramento Profissional em Psicologia Hospitalar pela PUC/Camp em 1998, formação de Educadora Perinatal pelo Grupo de Apoio à Maternidade Ativa em 2004, e Curso de Extensão em Preparação Psicológica e Física para a Gestação, Parto, Puerpério e Aleitamento pela UNICAMP em 2006, onde,neste mesmo ano, participei da palestra "Dando à luz em liberdade - Parto e Nascimento como Evento Familiar" com a parteira mexicana Naolí Vinaver Lopez. O que é uma doula? Aquela que serve (ajuda)outra mulher durante o trabalho de parto. Gosto de pensar a doula como acompanhante facilitadora. E o que é educadora perinatal? Aquela que tem formação para dar cursos para gestantes, falando sobre as mudanças no corpo da gestante, desenvolvimento do feto, parto, amamentação, puerpério e primeiros cuidados com o recém-nascido. Atualmente morando em São Carlos/SP. Contato: vaniacrbezerra@yahoo.com.br (16) 99794-3566 (16)34137012

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Carolina e João recebendo o Davi


A preparação para o parto é sempre uma fase especial. Dúvidas e receios vão ficando para trás, enquanto informações vão sendo absorvidas, e os cuidados realmente necessários para o parto vão sendo providenciados.

Carolina e João formavam um casal bastante focado na preparação. Assistimos vídeos de bebês nascendo enrolados no cordão, roxinhos como é o esperado... e falamos sobre as opções para o parto. Fizeram suas escolhas e passaram a aguardar o dia que Davi escolheria para nascer: no tempo dele e sendo muito respeitado desde o início.

No dia 20 de janeiro recebi uma mensagem às 7 da manhã: "Oi Vânia, acho que minha bolsa estourou". Trocamos algumas mensagens, liquido claro, cheiro característico mas tão leve que ela não tinha certeza... Ao longo da conversa concluímos que sim, era mesmo a bolsa! Então orientei para continuar observando e tomar um café da manhã gostoso e reforçado.

Viva! Foi dado o sinal de que o bebê está começando a se aprontar para nascer!

Também orientei para mais tarde passar na maternidade (da qual ela é vizinha), auscultar o bebê (por que ela disse que ele não estava mexendo muito, mas nesse horário do dia ele sempre foi mais quieto...). Passar por uma consulta ainda facilita na hora da internação porque aí o cadastro já está feito...

Ela também contou que estava com torcicolo desde a noite anterior! Recomendei que procurasse um atendimento com fisioterapeuta pra dar uma melhorada nisso, porque trabalho de parto com torcicolo já complica né?

Ao longo da manhã continuamos trocando mensagens, ela passou pela maternidade, foram ao consultório do médico buscar uma  receita de antibiótico para começar a tomar ( pq o exame de strepto dela tinha dado positivo), e ela conseguiu passar por uma fisioterapeuta. O pescoço já estava melhorando.

Às 3 da tarde ela disse que as contrações tinham começado, estavam mais ou menos de 10 em 10 minutos e passavam rápido, uma dorzinha nas costas. Perguntou sobre o uso da bola e chuveiro, respondi que sim, mais para descansar as pernas, para estar com mais energia quando as contrações ficassem mais fortes e próximas.

E às cinco da tarde já estavam de cinco em cinco minutos e durando 40 segundos. Tudo se encaminhando muito bem!

Na maternidade haviam recomendado que ela voltasse mais tarde para monitorar o bebê (os batimentos cardíacos). Recomendei que ela fizesse isso logo após a troca de plantão, assim já seria atendida pela enfermeira plantonista da noite.

Às 18h15 recebi uma mensagem do João: "Oi Vânia, as contrações estão mais próximas e ela pediu pra vc vir".

Cheguei 18h30, encontrei-a na sala, ajoelhada e abraçada na bola de pilates. Essa posição é praticamente uma unanimidade entre as mulheres em trabalho de parto. Já vi até nascer nessa posição. :)

Ficamos mais um pouco, ela tomou açaí, e logo as contrações começaram a vir de dois em dois minutos. Fomos nos preparando para ir para a maternidade.

Eles tinham planejado ir à pé e assim foi feito! Duas quadras até chegar à recepção, e mais um corredor bem comprido até chegar ao elevador que nos levaria ao terceiro andar.

20h00 - Chegando lá, atendimento cuidadoso, avaliação inicial, 8cm! Sorrisos e incentivos, banheira enchendo.

 Malas chegaram (as malas sim, deram a volta na quadra no carro. :)

Internação feita, espera respeitosa pelo tempo natural, água quentinha, banho de imersão, alívio, relaxamento.

Sinais de partolândia, Carolina dizendo que está se sentindo "meio aérea".

Sim, tudo bem, faz parte do amolecimento do corpo para o bebê poder passar pro lado de cá!

João ligou pra mãe dele e pediu pra ela mandar um café forte. Vantagens de estar perto!



22h45  eu e a enfermeira tivemos a impressão de que estava muito muito perto de nascer. Obstetra e pediatra foram chamados, às 23h00 já chegaram, ficaram por perto, algumas contrações com puxo (mãe fazendo força pro bebê nascer), as contrações deram uma espaçadinha.



Com tranquilidade, médico e médica saíram do quarto, ninguém falou nada sobre pressa nem relógio correndo... se a mãe está bem e o bebê está bem, a espera faz parte do cenário.











A enfermeira se aproximou e orientou Carolina a, dentro da banheira, ficar de pé e ficar de cócoras algumas vezes, pra ajudar o bebê a descer. Eu teria demorado um pouco mais pra fazer essa intervenção, mas Carolina aceitou, levantou-se com facilidade, fez as posições orientadas pela enfermeira, e daí a pouco o bebê apontou no períneo.





Médicos foram chamados de volta. Voltaram sorrindo, dizendo: "nossa, achei que ia demorar mais"...

Todos em vota da banheira, músicas tocando, ambiente sereno, Carolina puxando o lençol, em uma manobra para tirar a pressão do quadril e ao mesmo tempo dirigir a força para o centro, empurrando menos mas com mais eficiência.


Bebê faz a passagem sem pressa.

23h51 - Nasceu!

A enfermeira olhou o relógio quando a cabecinha passou, e quando olhou de novo já tinha nascido o corpinho todo!

- "Aaaaaaaaaaah, não vi nascer"!

E assim, com todos sorrindo em volta, ao som de "Somewhere over the rainbow" , Davi estreou nesse mundo, sendo recebido pelos braços da mãe e sob o olhar amoroso do pai. Na água quentinha como tinha sido planejado e o universo abençoou.

Davi seja sempre muito bem vindo! Que seu tempo seja sempre respeitado como foi seu nascimento, e sua vida repleta de bençãos! Saúde!

Carolina e João, muito obrigada por terem confiado na sua natureza, na sua capacidade de abrir e deixar o Davi passar, na sua capacidade de apoiar e incentivar. Juntos vocês trabalharam com perfeição.

Um grande abraço!

Vânia Doula.












Nenhum comentário:

Postar um comentário